Resiliência profissional: porque ela é tão importante?


Diante de todo esse cenário caótico de pandemia em que vivemos, surge uma pergunta que não quer calar: como manter as emoções sob controle e ser um profissional resiliente?


Por Paulo Abrantes


Vivemos em um ambiente de constantes mudanças a todo momento. Em todas as áreas da nossa vida enfrentamos desafios e precisamos aprender a lidar com as adversidades e imprevistos. Para isso, é fundamental desenvolvermos a capacidade de lidar com os contratempos e resolver os problemas que surgem.


No mundo corporativo, temos todo tipo de pressão e cobranças. São metas a serem batidas, competição, pressão por resultados, produtividade e uma infinidade de variáveis tanto internas quanto externas. Como se não bastasse tudo isso, ainda enfrentamos uma pandemia sem precedentes na história da humanidade.


Diante de todo esse cenário caótico que vivemos, surge uma pergunta que não quer calar: como manter as emoções sob controle e ser um profissional resiliente?

Primeiramente vamos definir o significado da palavra resiliência.


“Resiliência: propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica.”


O termo que foi “emprestado da física” vem sendo amplamente utilizado no ambiente corporativo nos dias de hoje. A resiliência é a capacidade de se adaptar às mudanças, superando desafios e conseguindo lidar com situações complexas. Poderíamos portanto, dizer que um indivíduo resiliente, seria aquele com a habilidade de persistir nos momentos críticos mantendo o equilíbrio e o controle emocional. Indivíduos resilientes, tornam-se mais fortes após situações complexas. Pois desenvolvem confiança em si mesmos aprendendo novas formas de analisar e, consequentemente, lidar com os problemas.


O indivíduo resiliente é flexível, pensa em opções e age, e se, por alguma razão suas ações não obtiverem êxito, ele simplesmente para, escolhe uma outra opção e persiste!



Quais as vantagens em ser um profissional resiliente?


Um profissional resiliente apresenta um grande diferencial em relação aos demais, pois ele além de ser tecnicamente competente, consegue atingir resultados muito superiores por ter a capacidade de olhar um problema por diversos ângulos diferentes e conseguir ter o equilíbrio emocional e a maturidade suficientes para não se deixar abater pelas dificuldades do momento, mas saber olhar para frente.

Desta forma, ele também apresenta um desempenho muito superior e contribui decisivamente para proporcionar melhores resultados para a empresa em qual trabalha. Fato este, que aumenta significativamente a sua empregabilidade uma vez que ele contribui de forma decisiva para o sucesso da empresa.


Principais benefícios em se desenvolver a resiliência:


1. Aprimorar uma maior clareza e objetividade nas ações;

2. Aumento da autoestima e autoconfiança;

3. Diminuir os níveis de ansiedade e estresse;

4. Proporcionar um melhor senso de responsabilidade e visão do futuro;

5. Melhorar a qualidade dos seus relacionamentos;

6. Proporcionar um maior equilíbrio emocional.



06 dicas práticas para desenvolver e aprimorar a sua resiliência

1. Busque o autoconhecimento

Procure identificar seus pontos e fortes e pontos fracos. Leia livros ou artigos sobre o tema, assista bons vídeos sobre o assunto na internet, pergunte para amigos próximos como eles te enxergam e peça que eles apontem quais seus pontos fortes e quais seus pontos de melhoria. Uma vez identificados os pontos de melhoria, busque corrigir eventuais deficiências e potencializar seus pontos fortes. Se julgar necessário faça terapia. Os resultados podem ser muito proveitosos. Tenho certeza que todo o esforço investido nesta busca será muito bem recompensado!


2. Cuide de sua saúde física e mental (mens sana in corpore sano)

Desenvolva bons hábitos de vida: faça exercícios físicos pelo menos 3 vezes por semana. Tenha toda noite um bom sono reparador de 8 horas. Não consuma alimentos que são prejudiciais à sua saúde. Evite fumar ou beber.

Aprenda a relaxar, desestressar. Pode ser uma pausa de 10 minutos no trabalho para tomar um cafezinho ou escutar uma música ou simplesmente não fazer nada. Pode ser uma breve meditação, pode ser uma ligação para a pessoa amada. O importante é que seja eficaz para você! Busque o que te faz bem para relaxar. Se você não sabe ou nunca pensou nisso sugiro que faça uma pausa na leitura e pense no assunto.


3. Encare as mudanças como oportunidades

Neste ambiente caótico em que vivemos, as mudanças acontecem a todo momento. O importante não é a mudança em si, mas a forma com que conseguimos nos adaptar a ela. A pandemia do corona vírus por exemplo, levou muitas empresas a realizarem o trabalho remoto. Algo aparentemente visto como ruim num primeiro momento. Entretanto, muitas empresas já admitem que passada a pandemia pretendem manter uma parcela significativa de seus colaboradores em trabalho remoto, pois notaram que existem diversas vantagens (principalmente financeiras) nesta modalidade de trabalho. Os próprios colaboradores perceberam que agora não perdem tempo no trânsito com deslocamentos e podem dedicar mais tempo para si e suas famílias por exemplo.


4. Desenvolva a sua inteligência emocional

Inteligência emocional é capacidade que o ser humano possui de gerenciar suas emoções. Uma boa dica para desenvolver a inteligência emocional é escrever seus sentimentos e suas ações em um papel e depois refletir sobre eles.

Uma outra dica é que quando se sentir pressionado, procure manter a calma, entender o que está acontecendo e qual a melhor forma de agir. Passado o momento de pressão, é importante refletir sobre o que foi feito e analisar erros e acertos e a partir daí reconhecer como você age nestas situações. O autoconhecimento é fundamental! A inteligência emocional quando bem desenvolvida é uma arma poderosa para aprimorar a sua capacidade de ser um profissional resiliente.


5. Busque a motivação no trabalho

Por que você trabalha? Para ganhar um salário no final do mês e pagar suas contas? Espero que não seja este o seu caso. O trabalho vai muito além da questão de se arcar com compromissos financeiros, é uma oportunidade de realização pessoal, de crescimento profissional, desenvolvimento intelectual e convivência social. Ele tem que ser prazeroso e gratificante.

Se você não pensa assim, de duas uma: ou você está na empresa errada, ou a empresa errou ao lhe contratar. Se você tem um emprego que não gosta, que não se sente feliz, as suas chances de desenvolver a resiliência diminuem tremendamente. Portanto, é fundamental que você busque se automotivar desenvolvendo atividades que lhe sejam prazerosas e desafiadoras. Também é muito importante buscar parceiros no trabalho. Pessoas com que você possa trocar conhecimentos, experiências e possam ajudar um ao outro nos momentos de dificuldades.


6. Tenha uma vida fora do trabalho

É fundamental que saibamos dar o devido equilíbrio entre vida profissional e vida pessoal. Precisamos dedicar tempo para a pessoa amada, família, amigos e claro lazer e diversão pois precisamos “recarregar nossas baterias” e entender que a vida não pode se resumir a trabalhar.

O problema é que hoje com os smartphones que temos algumas empresas simplesmente acham que como o funcionário está “on line” ele está disponível 24horas por dia, 7 dias por semana e infelizmente nem todo gestor tem o bom senso de não demandar o colaborador no final de semana ou durante o período de descanso à noite. Claro, não me refiro a uma urgência, mas a demandas que podem perfeitamente esperar para serem solicitadas no dia seguinte. Portanto, aprenda a relaxar e curtir momentos de descontração e alegria, pois isso é fundamental para te ajudar a lapidar a sua resiliência.



 

Paulo Abrantes


Executivo sênior com mais de 20 anos de experiência nas áreas de Comunicação, Marketing e Negócios. Professor universitário. Em julho de 2020 foi convidado pelo Ministro da Educação para compor sua equipe ministerial.


abrantes_paulo@yahoo.com.br

19 views0 comments