top of page

Estratégias de neuroeducação fáceis e rápidas de implementar na escola

Integrar estratégias de neuroeducação à gestão pedagógica tem o potencial de transformar a maneira como ensinamos e aprendemos.





1. Investir em formação continuada para os educadores


A neuroeducação é um campo em constante evolução. Por isso, é essencial que as escolas e os educadores estejam atualizados sobre as descobertas mais recentes.

Nesse sentido, as instituições de ensino deveriam promover programas de formação continuada que ofereçam aos professores a oportunidade de aprender sobre os princípios da neurociência e sua aplicação na prática pedagógica.


Um investimento que, sem dúvida, ajudará sua instituição de ensino a compreender melhor o funcionamento do cérebro e a utilizar estratégias de ensino baseadas em evidências científicas.


Com toda a certeza, o investimento em estratégias de neuroeducação tem retorno garantido. Além de ser um diferencial e uma vantagem competitiva,

resulta na melhoria da reputação da escola.


2. Estabelecer parcerias com pesquisadores em neurociência


É altamente recomendável que as instituições de ensino busquem parcerias com instituições acadêmicas ou pesquisadores que trabalham na área da neurociência.

Pois, essas parcerias podem proporcionar acesso a conhecimentos especializados, estudos e recursos que podem ser aplicados na melhoria dos processos de ensino e aprendizagem a partir de estratégias de neuroeducação.


Os pesquisadores podem oferecer orientações sobre como adaptar as práticas pedagógicas com base nas descobertas científicas, além de colaborar no desenvolvimento de projetos de pesquisa educacional. O que, certamente, leva sua escola a outro patamar de qualidade e inovação.



3. Utilizar abordagens multidisciplinares


A neurociência é um campo interdisciplinar e, portanto, sua aplicação na educação também se beneficia da integração com outras áreas, como psicologia, pedagogia e ciências cognitivas.


As instituições de ensino que promovem a colaboração, discussões e ações conjuntas entre profissionais de diferentes disciplinas, como resultado, otimizam e potencializam a aprendizagem dos estudantes.

Assim, as estratégias de neuroeducação podem incluir a realização de projetos de pesquisa multidisciplinares, a criação de equipes de trabalho que reúnam diferentes especialidades e a participação de profissionais de outras áreas no planejamento curricular e no plano de ação escolar, por exemplo.



Estratégias de neuroeducação nas escolas



Enfim, ao implementar essas estratégias de neuroeducação, as instituições de ensino estarão em melhor posição para aproveitar os avanços da neurociência e proporcionar uma educação de qualidade.


Dessa maneira, fica mais fácil para a instituição de ensino oferecer o ensino que todos desejam. Ou seja, aquele que leva os estudantes ao protagonismo de sua autonomia intelectual, uma vez que leva em consideração as necessidades individuais e promove o desenvolvimento pleno do educando.


Como resultado, torna os estudantes mais bem preparados para enfrentar os desafios do futuro. Em síntese, a integração entre neurociência e educação (neuroeducação) tem o potencial de transformar a maneira como ensinamos e aprendemos.


Continue a ler saiba um pouquinho mais sobre neurociência aplicada à educação, esse tema tão instigante e inovador que compartilhamos para seu proveito. Mas, antes, se você ainda não viu, acesse e leia os blog posts anteriores sobre neuroeducação: · Entenda como neurociência e educação se relacionam · Neuroeducação: conheça 10 benefícios para estudantes e escolas · Neuroeducação e tecnologia para fazer a educação melhor Fonte: WWW.DIARIOESCOLA.COM.BR



55 views0 comments

Comments


bottom of page